O que acontece quando um dos gêmeos morre na barriga?

O que acontece quando um dos gêmeos morre na barriga?

Uma das coisas mais maravilhosas que pode acontecer na vida de uma mulher, é ela engravidar de dois bebês. Mas o que esperar da gravidez gemelar quando um feto morre?

Muitas mulheres temem que isso ocorra em sua gravidez. Afinal, esse é um dos 12 maiores riscos listados em gestações gemelares.

Mas infelizmente, muitas grávidas de gêmeos passam por essa triste situação.

Leia também:

Morte de um dos fetos no inicio da gravidez gemelar

A descoberta de uma gestação de gêmeos, pode vir através de um ultrassom feito com 5 ou 6 semanas. O susto, o medo e a felicidade são muito grandes. No entanto, pode acontecer de num próximo exame a gestante receber a noticia que um dos fetos não se desenvolveu.

Essa é uma realidade que acomete 20% das gestações gemelares.

Pelo fato disso acontecer bem no inicio da gravidez, muitas mulheres nem ficam sabendo que estiveram grávidas de gêmeos um dia.

Não se sabe ao certo porque acontecem essas perdas, mas é fato que a maioria desses abortos espontâneos ocorrem em gestações univitelinas (gêmeos idênticos).

O que acontece quando morre um dos gêmeos na barriga?

Quando morre um dos gêmeos na barriga nas primeiras semanas, o bebê que ficou continua se desenvolvendo normalmente, isso porque a mãe continua com seus níveis hormonais bem altos, o que de fato contribui para a evolução do feto que ficou. Em geral não afeta a saúde da mãe, mas em alguns casos pode haver sangramentos.

E com os passar das semanas, o feto que não se desenvolveu acaba sendo absorvido pelo organismo da mãe.

Quando o aborto ocorre entre os 2º e 3º trismestres, o bebê falecido continua ali no útero da mãe, e os médicos tem uma decisão difícil a ser tomada: Fazer o parto prematuro do bebê que ficou, ou deixar a gravidez ir o mais longe possível?

Dependendo do tempo de gestação, fazer o parto prematuro pode ser muito arriscado tanto pra gestante quanto para o bebê. Por outro lado, é muito difícil para mãe chorar o luto do filho falecido em sua barriga, e ao mesmo tempo se alegrar pela vida do bebê que cresce em seu ventre.

Um dos fatores que contribuem para a perda de um dos gêmeos nessa fase, é quando ocorre a Sindrome da Transfusão Feto Fetal, muito comum quando o tipo de gravidez gemelar é monocoriônica-diamniótica.

Possíveis sequelas para o gêmeo vivo

Em gravidez gemelar quando um feto morre bem no inicio, as chances do bebê que ficou nascer saudável é grande.

Mas se a perda ocorreu mais tarde, existe sim a possibilidade do bebê que ficou nascer com algum tipo de paralisia cerebral.

Dor e culpa

É fato, a maioria das mães que perdem um dos bebês, em algum momento vão “assumir a culpa” pelo ocorrido, pois sentimentos como: E se eu fizesse isso? Será que foi aquele esforço que eu fiz? E se fizesse mais algum ultrassom?, vão começar a aparecer.

Nos primeiros meses da maternidade, será bem difícil também. Pois recordações estarão por todas as partes, no enxoval, no quarto e nos acessórios. E um misto de sentimentos poder invadir a recém mãe, uma vez que ela ficará dividida entre os cuidados com o recém-nascido, e as tristes lembranças do bebê que se foi.

Uma segunda gravidez gemelar

Algumas mulheres após sofrer a perda de um dos seus gêmeos, em algum momento se perguntam se seria possível engravidar novamente de gêmeos.

Umas por medo de passar pela mesma situação, outras com o sonho da maternidade gemelar.

Essas chances existem sim, especialmente se essa mãe teve uma gravidez bivitelina (gêmeos diferentes).

Traumas da mãe

É muito comum que mulheres que passam por um aborto gemelar tenham problemas psicológicos, seja na gravidez ou no pós-parto.

Ficar triste é fato, mas se o caso se tornar muito grave pode ser necessário tratamento para que essa mãe se recupere. Pois ainda existe um bebê necessitando de cuidados e acima de tudo do amor da sua mãe.

Contar ou não contar sobre o irmão para o gêmeo que sobreviveu

Essa decisão deve ser dos pais, mas na maioria dos casos o irmão nascido acaba sabendo do ocorrido. Pois, existem muitas pessoas pelo mundo que relatam a perda de um irmão gêmeo ainda na barriga da mãe.

E mesmo sem terem convivido juntos após o nascimento, sempre haverá uma certa tristeza em suas vidas. Uma vez, que esses irmãos viveram juntos por algum tempo no mesmo útero, dividindo o mesmo espaço materno.

Conclusão

O risco de aborto espontâneo é maior em gestação múltiplas. No entanto, é importante entender que em gravidez gemelar quando um feto morre, é perfeitamente possível a evolução e nascimento do gêmeo que ficou. 

Apesar disso, é de extrema necessidade um acompanhamento da mãe a fim de observar sua saúde física e mental, pois a perda de um bebê pode gerar traumas para o resto de sua vida.

Deixe seu comentário

Tags: |