Como é feito o pré-natal gemelar?

Como é feito o pré-natal gemelar?

Se você descobriu que está grávida de gêmeos, é muito importante que você saiba, que o Pré-Natal Gemelar é bem diferente do pré-natal de uma gestação única.

Afinal, na gravidez de gêmeos, os riscos de complicações são bem maiores. Por isso, é fundamental que você tenha um acompanhamento mais “de perto” da sua gestação.

Antes de iniciar o seu pré-natal, a primeira coisa que você deve considerar, é a escolha do médico. Pois, Infelizmente nem todos os ginecologistas/obstetras, possuem experiência em gravidez de gêmeos (geralmente é considerada de alto risco). Portanto, se você tiver a oportunidade de escolher, faça pesquisas e analise criteriosamente, para decidir qual médico irá fazer o acompanhamento do seu pré-natal, e especialmente realizar o seu parto gemelar. 

Basicamente, as consultas servirão para avaliar a sua saúde, e o desenvolvimento dos bebês. É comum também que ocorram exames de toque para saber como está o seu colo uterino, já que muitas gestantes gemelares, tem o “colo do útero curto”. Essa informação é de suma importância, para a prevenção de partos prematuros.

Leia também:

Consultas no pré-natal gemelar

Quando se trata de gêmeos, as consultas costumam ser bem frequentes. Pois, essa é a melhor forma do médico avaliar como está evoluindo a sua gravidez.

Em geral as consultas costumam ser assim:

  • Mensais: do inicio da gravidez até o final do 2º trimestre;
  • Quinzenal: as consultas serão a cada 15 dias, durante todo o 3º trimestre;
  • Semanal: por volta da 33ª, 34ª semana (próximo do parto), as consultas costumam ser toda semana.

Certamente, a primeira coisa que o médico desejará saber é se você está grávida de gêmeos univitelinos (iguais) ou gêmeos bivitelinos (diferentes). Isso porque, além da gestação gemelar ser bem delicada, os riscos são maiores ainda em gestações univitelinas. (mono-mono e mono-di). Portanto neste caso, as consultas poderão ser mais frequentes ainda.

Em casos de tratamento para engravidar, como por exemplo na Fertilização In Vitro, a gestação costuma ser bivitelina (di-di), já que é implantado mais de 1 embrião no útero da mulher. No caso de gravidez gemelar natural, as chances de serem bivitelinos, também são maiores. Uma vez, que esse tipo de gêmeos, representam 2/3 dos nascimentos de gemelares.

No entanto, somente um ultrassom, poderá confirmar com 100% de certeza essa informação. Para você entender melhor sobre como funciona os tipos de gestação gemelar, sugiro que você leia esse artigo aqui do blog.

Exames e ultrassons

No pré-natal gemelar, é comum que o médico solicite exames com uma maior frequência, já que o risco de anemia e outras doenças como diabetes é bem maior em gravidez gemelar. 

É através dos exames, que o médico saberá se você precisa fazer uso de alguma vitamina, ou de algum remédio específico de acordo com a sua condição de saúde. Lembrando, que quando se está gestante, é de suma importância fazer uso de medicamentos, apenas  prescritos pelo seu médico.

Você perceberá também, que será solicitado muitos ultrassons no decorrer do seu pré-natal. Pois, é através deles que é possível saber como os bebês estão evoluindo, além disso é possível também detectar doenças, e até mesmo prevenir complicações.

Normalmente em pré-natal de gêmeos, o médico solicita 1 ultrassom por mês. Mas, em caso de gestações de maior risco, o número de ultrassons pode ser maior.

Uma questão que costuma pegar de surpresa a gestante gemelar, é o fato do ultrassom ser cobrado em dobro, já que são 2 bebês. No caso dos convênios, é necessário verificar se o plano cobre esse “tipo de serviço”, e se ele é cobrado em dobro em caso de gêmeos.

Doenças que podem ser detectadas no pré-natal gemelar

Em alguns artigos aqui do blog, já mencionei sobre os riscos e possíveis complicações na gravidez gemelar. Por isso, é muito importante que você vá a todas as consultas do seu pré-natal, e comunique imediatamente o médico se você tiver algum sintoma fora do normal.

É muito comum que mulheres com pressão alta, ou até mesmo que já tiveram essa complicação em sua primeira gestação, desenvolvam a pré-eclâmpsia na gravidez gemelar.

Infelizmente, essa doença pode acarretar problemas sérios como parto prematuro, ou até mesmo a não evolução dos fetos, (ou de um deles).

Através do ultrassom, é possível detectar também se os bebês não estão sofrendo da Síndrome da Transfusão Feto-Fetal, (quando um bebê recebe mais sangue do que outro). Essa doença pode acontecer em gestações univitelinas, uma vez que, os bebês compartilham a mesma placenta. Se for detectada a tempo, há chances de reverter o quadro, a fim de manter o desenvolvimento estável dos 2 bebês.

Outro problema que também pode acontecer em gestações univitelinas, é a restrição de crescimento (quando um bebê cresce mais do que o outro). Infelizmente quando isso acontece, não tem muito o que possa ser feito. Entretanto, em muitos casos, é necessário um parto de emergência para garantir que esses bebês fiquem bem.

No caso dos bivitelinos, é muito normal que haja diferenças de peso e tamanho entre os 2 fetos. Já que esse tipo de gêmeos, se desenvolvem em sacos e placentas distintas. 

Tipos de partos

É de extrema importância, que você converse com seu médico sobre o tipo de parto que você pretende fazer. Caso seu desejo seja o parto normal, é bom você já saber, que mesmo que cesarianas prevaleçam em parto de gêmeos, o parto normal também é possível.

Geralmente, quando se tem convênio particular, é possível decidir pelo tipo de parto, e se a escolha for pela cesárea, é comum fazer o agendamento com antecedência. No SUS, nem sempre isso é possível.

Prematuridade em gêmeos

De acordo com um estudo feito pela UNICAMP, as chances de acontecer parto prematuro em gestação gemelar é de 24x maior que numa gestação única. Através das estatísticas, é possível saber que metade dos gêmeos nascem prematuros e que a cada 10 gestações, 8 sofrerão algum tipo de complicação. E não é a toa, que a gravidez de gêmeos e múltiplos é considerada de risco.

Um dos motivos que mais levam ao parto prematuro, é o fato do útero estar muito sobrecarregado. No caso de gêmeos, o peso é grande, e quando o útero não suporta mais o peso, o parto acontece e nem sempre era hora desses bebês nascerem.

Como dito anteriormente, durante as consultas, o médico irá avaliar através do exame de toque como está o colo do útero, e ele saberá se existe a probabilidade de parto prematuro. Se for detectado riscos, é necessário repouso e medicamentos para inibição do parto. 

Resumindo

O pré-natal, é a forma mais adequada de acompanhar a gestante a fim de garantir uma gravidez tranquila e ter a certeza que o bebê está se desenvolvendo em perfeitas condições. Quando se trata de pré-natal gemelar, é necessário um cuidado maior do médico, a fim de garantir segurança tanto para a mãe, quanto para os bebês.

Como a gravidez de gêmeos costuma ser de riscos, é muito importante ter os contatos do seu médico sempre atualizados. Dessa forma, conseguir se comunicar com ele o mais rápido possível, numa eventual emergência.

Toda gestante gemelar, precisa ter muitos cuidados durante a gravidez, devido o risco de doenças e complicações serem maiores.

Logo, é possível ter uma gestação tranquila e um parto sem complicações, mas para isso acontecer, é necessário uma atenção maior da gestante e também do médico, que sempre acompanhará a gravidez, através das consultas do pré-natal.

Créditos da imagem em destaque: Pressfoto – br.freepik.com

Tags: | |